22/05/2018 às 08h52min - Atualizada em 22/05/2018 às 08h52min

Sindsjus esclarece sobre possível protesto dos servidores em Parnaíba - PI

O Sindsjus vem, novamente, explicar.

Fonte: Sindsjus
Acerca de alguns comentários, infundados e desarrazoados, postados nas redes sociais por alguns servidores, em face da manifestação contrária do SINDSJUS  a um possível protesto dos servidores durante a inauguração do novo fórum da comarca de Parnaíba, o SINDSJUS vem, novamente, explicar que:
 
Durante a assembleia geral extraordinária realizada em sua sede na última quarta-feira (16), tomou conhecimento que um grupo de servidores tinha a intenção de se deslocar para a cidade de Parnaíba para realizar uma manifestação de protesto durante a inauguração do novo fórum daquela comarca, motivado por razões que não faziam parte da pauta de convocação da mencionada assembleia, tampouco constava dentre as medidas discutidas e aprovadas pela categoria na tentativa de derrubar do veto do governador do Estado ao projeto de lei de reajuste salarial dos servidores do Judiciário. Diante deste cenário, esta entidade sindical manifestou-se contrário à tal pretensão, explicou as razões porque assim o fazia e todos compreenderam e apoiaram o posicionamento do SINDSJUS. Vale ressaltar que, após essa explanação, até mesmo os interessados na citada manifestação demonstraram entendimento das razões do SINDSJUS, haja vista que, durante a assembleia, ninguém mais tocou no assunto.

Todavia, no dia seguinte (17), na véspera da inauguração do novo fórum, o SINDSJUS, novamente,  ficou sabendo que um grupo de servidores, que  sequer  tinha participado da assembleia, ou seja, talvez não soubesse ao menos o que ali foi discutido - imagine decidido, permaneciam com o fito de promover uma manifestação de protesto durante a inauguração do novo fórum. Sabemos, porém, que tais atos são motivados pelos mais diversos interesses, inclusive de cunho político-partidário – contra alguns políticos que o grupo pensava que iria encontrar no evento - e de cunho pessoal (especialmente contra o presidente do TJ-PI e alguns servidores da própria comarca de Parnaíba).

Ora, pelas motivações para pretensa manifestação do protesto:  prática de ato que incorra em vinculação político-partidária,  é vedada pelo estatuto do SINDSJUS, inclusive a abstenção desta prática é condição para o funcionamento do sindicato (Art.7º, “d”)tentar impedir um presidente do Poder Judiciário do Estado do Piauí, ou qualquer outro desembargador de inaugurar um fórum, ainda mais quando este presidente se empenhou pessoalmente pela sua construção e o mencionado fórum trará melhores condições de trabalho para os próprios servidores da comarca, e, ainda, tentar se vingar de colegas servidores da comarca onde o novo fórum seria inaugurado – alguns colegas da Comarca de Parnaíba– por motivo torpe ou fútil, restaria claro que tal manifestação não poderia receber, não recebeu e jamais receberá apoio deste sindicato, que é uma entidade sindical séria, responsável, transparente, ética, respeitada, de luta e compromissada com os “legítimos” interesses de seus representados, em especial dos de seus filiados, e que não tem medo de adotar posições e tomar decisões firmes, corajosas e necessárias com vista a ampliar, proteger, resguardar e/ou defender os justos e legítimos interesses e direitos de seus representados.

Por isso, a decisão do SINDSJUS em se posicionar veementemente contra tal ato, sem, contudo, proibir o livre direito de cada servidor (ou qualquer outro cidadão) de apoiar ou participar do ato, que sequer chegou a acontecer.

Vale destacar ainda que, o sindicato não pretendia responder a tais comentários, em respeito à liberdade de expressão, à salutar participação de seus representados e demais internautas nas redes sociais com comentários, críticas ou sugestões aos assuntos postados pelo SINDSJUS. Contudo, alguns servidores, talvez por não participarem ou não acompanharem, ainda que a distância, da luta incessante e permanente de seu sindicato na busca por melhores condições de trabalho, de salários e na defesa intransigente dos justos e legítimos direitos e interesses de seus representados, ou, sabe-se lá porquê, continuam, sem pejo, assacar  ofensa moral e gratuita contra esta entidade sindical. Por isso, se fez necessário mais esse esclarecimento.

Finalmente, o SINDSJUS se coloca à disposição de qualquer filiado para receber críticas, sugestões e outras assertivas que de fato venham a contribuir com o fortalecimento da categoria. Nossa categoria vive um momento delicado, onde é preciso evitar querelas desnecessárias que possam desviar do foco da luta do sindicato e da grande maioria dos servidores pela derrubada  do veto do governador ao projeto de lei do reajuste salarial. É preciso união daqueles que desejam, de verdade, que toda a categoria vença mais esta luta.

Neste sentido, o SINDSJUS reforça o convite para que os servidores acompanhem, logo mais, às 9h, a reunião na Comissão de Constituição e Justiça da Assembleia da Legislativa, onde os deputados vão analisar o veto. É preciso a participação dos servidores para que os parlamentares mantenham o compromisso firmado junto ao SINDSJUS, em reunião na semana passada, de que o veto seria derrubado.

Além disso, também vale destacar que, em reunião ontem (21), no gabinete do deputado Nerinho, este se comprometeu a analisar inclusão dos termos “de segunda a sexta-feira”, no projeto que modifica a carga horária da categoria. O projeto poderá ser analisado ainda hoje na Assembleia Legislativa, e o deputado Nerinho é o relator.

Como se vê, a luta do SINDSJUS não para e, pelo histórico de conquistas alcançadas, trata-se de uma entidade que merece respeito, especialmente, por não medir esforços na luta pelos interesses da categoria.

Notícias Relacionadas »
Comentários »